Saturday, October 21, 2006

Oasis homenageados com prémio carreira nos Brit Awards de 2007


http://brits.co.uk/press/2006.10.19.php

Os Oasis têm uma carreira invejável e a muitos títulos inagualável. Lançaram o primeiro album em 1994 (Definitely Maybe) e, no espaço de 2 anos ( e com o segundo album de 1995, What's the Story, Morning Glory), dominaram a cena musical à escala mundial, com concertos para centenas de milhares de pessoas, consecutivamente esgotados (Earls Court,Maine Road, Knebworth) e, ao mesmo tempo, revitalizaram a música pop inglesa, e mesmo a cultura inglesa dos anos 90 (mas sem dúvida nenhuma!), sendo os cabeça de cartaz do chamado "brit-pop". De 1994 a 1997 os Oasis foram a banda a ter em conta. Isto é facto assente e inegável. Quem disser o contrário é parvo. Em 1997 lançaram o seu terceiro album, Be Here Now (um excelente album, já agora...), e para muitos foi o início do fim. O album vendeu 8 milhões de cópias em todo o mundo, mas ainda assim foi considerado um fracasso comercial. Os seus sucessores, Standing On the Shoulder of Giants (2000), Heathen Chemistry (2002) e Don't Believe the Truth (2005) superaram sempre o milhão de vendas e ainda assim, foram considerados fracassos comerciais, apesar de, tal como os anteriores, terem sido nr. 1 nas tabelas de vendas do Reino-Unido. Primeira conclusão: o sucesso comercial e mediático dos Oasis, em 12 anos de carrreira é inegável, são ainda hoje uma banda que aparece recorrentemente nas capas de toda a imprensa musical britânica, façam ou não música.
Do ponto de vista da qualidade musical os Oasis são provavelmente a banda que reune menos consenso. Sim, eles roubam ostensivamente riffs aos Beatles, aos T-Rex, aos Slade, aos Who, até ao Stevie Wonder. Eles usam a mesma fórmula desde a primeira demo. E ainda assim são geniais. Obviamente que muitas bestas com deficiências auditivas não o conseguem reconhecer, provavelmente por dor de corno, com argumentos do género "a roubar o que os outros fizeram também eu conseguia", ou então simplesmente porque os Oasis têm demasiado sucesso para poder ser apreciados por atrofiadozinhos que acham que a maior sala de espectaculos em que uma banda pode aspirar a tocar é a sala de estar das suas casas, ou então estão a vender-se. A verdade é que as letras, as guitarradas, o espírito presente em TODAS as músicas dos Oasis, colocam-nos ao nível dos melhores. Boa música não tem de ser inovadora. Isto apesar de haver momentos menos brilhantes na carreira dos Oasis. De facto o Standing On The Shoulder Of Giants não foi de todo o album que deveria ter sido. Ainda assim, segunda conclusão: musicalmente os Oasis são brilhantes.
Dito isto, vamos à vaca fria, o prémio "Outstanding Contribution to Music" a ser atribuído aos Oasis nos Brit Awards de 2007. Numa palavra: palhaçada.
Este tipo de prémios sempre me pareceu uma homenagem a alguém que está prestes a bater a bota e de quem não se espera mais nada de relevante. Os Oasis estão muito longe de ter chegado ao fim da carreira, vão lançar um album novo em 2007 (ao que tudo indica) e aposto aqui um dos meus rins em como vai chegar a nr 1 do top, vai haver uma tour completamente esgotada, vão ser cabeças de cartaz dos festivais de Verão mais importantes (Glastonbury 2007, aposto o meu outro rim!). E além disso tudo, vai ser um excelente album (se tivesse mais rins apostava-os!).
Por outro lado, isto não é mais do que uma campanha de marketing do pessoal que organiza essa fantochada que são os Brit Awards. Ao fim de quase 20 anos os Brit Awards voltam a ser transmitidos em directo na tv, daí precisarem de um cabeça de cartaz que garantisse uma audiência esmagadora. É no mínimo ridículo que uma banda que ganhou DOIS Brit Awards em 12 anos de carreira seja distinguida com este prémio. Será que de repente há aqui uma tentativa de salvação da cruz, do pessoal que organiza os Brit Awards? Não estam nada a tempo....temos muita pena.
Ponto positivo disto tudo. Os Brit Awards de 2007 vão ser o maior deboche televisivo dos últimos anos. Lembram-se de quando o Jarvis Cocker dos Pulp, durante a actuação do Michael Jackson, nos Brit Awards de 1995, decidiu mostrar o seu CU ao mundo, ou dos discursos de agradecimento em 1995, dos Oasis, com dedicatórias especiais aos Blur, que deram cabo da cabeça aos senhores do lápis azul dos Brit Awards? Pois, é disto que a casa gasta, e isto é muito bom e vai ter direito a tempo de antena! Do mal, o menos....

2 Comments:

Blogger Leonardo said...

Apesar de tudo, o Oasis continua sendo uma baita banda. Só não se sabe até quando.
O Brit Awards promete diversão então, massa :)

17 January, 2007 21:43  
Anonymous Rafael said...

oasis é a melhor banda do mundo e acabo !!
quero ver alguma banda atual chegar aos pés deles.. !?
qualidade musical muito boa mesmo ..!

30 November, 2008 15:16  

Post a Comment

<< Home